terça-feira, 9 de março de 2010
Me vejo mentindo e fazendo falsas promessas para a pior pessoa que eu poderia escolher: eu mesmo. Acabo me iludindo tanto correndo atrás de pessoas que não valem a pena e não estão nem aí pra mim. Será que vale mesmo a pena me machucar com estas coisas sem sentido?

Eu respondo: NÃO! Não preciso ficar no pé de ninguém sem nenhum motivo (que frase interesseira, não?), mas aí entra em jogo outra coisa: fazer o que é melhor pra mim ou o que é ético?
Posso falar várias coisas bonitas, compreender coisas que quase ninguém compreende, saber o que estou fazendo, mas no fundo sou apenas  uma jovem de 16 anos. Fraco como qualquer outro, por mais que eu me esconda atrás de experiências de vida e palavras difíceis. Assim como uma tartaruga, por fora também tenho uma casca grossa:  pareço conseguir superar até as coisas mais impossíveis, sem nenhum efeito colateral.
Nos escondemos atrás de paredes bem elaboradas, que ocultam o quão deplorável somos." O que ninguém falou ainda é que um dia essas paredes - por mais forte que sejam - vêm a desabar, então vemos o que realmente somos... posso até me iludir com palavras amigas e sorrisos, com amizades falsas e sentimentos sem razão, mas viver sem eles realmente seria melhor .. !? Sempre peço muito pouco para meus amigos, e realmente são poucos que cumprem o que peço... Eu procuro sempre oferecer aquilo que considero melhor para meus amigos, me importando sempre que possível, às vezes esquecendo até de mim, mas em troca recebo apenas palavras vazias, isso é desmotivante !

0 comentários:

A Caprichosa

A Caprichosa
Esteticista| Cristã| Mãe do Luck. Cantinho reservado para as mulheres que amam vaidade e um pouquinho de cada assunto.

Arquivo do blog

@barbarapiracelli

@barbarapiracelli

Tecnologia do Blogger.

Anuncie !!!!