terça-feira, 16 de novembro de 2010


  '' Abriu os olhos e não conseguia entender o que estava acontecendo ...''. Me sentia ainda um pouco tonta, me manterão dopada, mas por quanto tempo?
  Olhei para o lado e vi Lucas chorando de cabeça baixa sentado na cadeira ao lado da minha cama.
  ''Porque choras assim? Me sinto bem'' - pensei. Ele se levantou, sentou ao meu lado e segurando minha mão sem dizer qualquer palavra, eu entendi como ele estava se sentindo.
  E no berço abaixo da janela clara, com cortinas azuis, estava Giovana, minha filha, nossa filha.
  - O que aconteceu com a gente Eduarda? Faz tanto tempo que não nos vemos, porque 1 ano? Quem esta bebê? - Disse-me ele confuso, agora com um tom mais alto.
  Havia chegado o momento, eu tinha que contar para ele sobre Giovana. Sobre o que aconteceu.
  Eu sentia que poderia ter uma chance de rejeição, mas ele era minha única esperança. O meu coração precisava se despedir, eu tenho pouco tempo, poucas palavras.
  Olhei para ele, as palavras embaralharam quando subiam pela minha garganta, mas mergulhei na coragem e disse: ''É a nossa filha''.
  Ele ficou paralisado, sem qualquer reação. Confesso que esperava mais, mas quando finalmente eu ia dizer algumas palavras ele se levantou, foi até o berço e lá soltou um suspiro que eu podia sentir a intensidade do arrependimento da sua alma.
  Então, ele se abaixou e ficou ali observando aquela pequena garotinha dormir como se fosse algo intocável.
  Mas como? Quando? Porque nunca me contou Duda? - Lucas desabafou.
  Carol havia nos destruído, eu estava com ódio de você, e tinha decidido que seguiria em frente sem você, apenas eu e um ser que crescia dentro de mim. Por isso parti - Expliquei o que tinha acontecido.
  Por toda minha vida isso era algo que eu jamais imaginaria - Quase chorando as palavras mal saíam da boca de Lucas.
  Eu não estava nada bem. Essa doença maldita já estava me sugando. Sentia cada vez menos meu coração bater. Minha visão estava fraca, e minha respiração ofegante.
  Olhei para Giovana e disse : ''Ela agora é a única pessoa que tenho, por favor, cuide dela como você me amou. E a propósito, eu o perdoou''. - Disse para Lucas quase sem voz.
  Lucas colocou minha filha em meus braços, foi quando pude abraça-la com toda intensidade. Fechei os meus olhos, pra senti-la em mim.
  Lucas parecia aflito, extasiado com o que tinha descobrido.
  Sentado na cadeira, Lucas ouviu o som do aparelho que mantinha Eduarda viva, ele levantou a cabeça e ficou em desespero. Ela partiu novamente, mas dessa vez para sempre.
  Lágrimas caíram sobre seu rosto e como gesto de arrependimento, abraçou as duas sobre aquela cama.
  ''Essa será a continuação da nossa história'' - Olhou ele pra Giovana.

0 comentários:

A Caprichosa

A Caprichosa
Esteticista| Cristã| Mãe do Luck. Cantinho reservado para as mulheres que amam vaidade e um pouquinho de cada assunto.

Arquivo do blog

@barbarapiracelli

@barbarapiracelli

Tecnologia do Blogger.

Anuncie !!!!