domingo, 23 de setembro de 2012

Enquanto Eduarda corria em direção a rua, Kaio a seguia. - Por favor amor quer me ouvir! -. Ele suplicava por um minuto de espera. Sophia que estava parada logo na entrada do salão, se pois a sair pegando as chaves do carro dentro da bolsa.
- Esperar por o que Kaio, as coisas parecem ter mudado -. Disse Duda, enfurecida enquanto lagrimas corriam pelo seu rosto. Kaio se aproximou e quando pode tocar o rosto da moça ela o afastou com as mãos. - Nem pense em tocar em mim, mentiroso -. Duda repetiu novamente.
Eduarda esticou o braço chamando o taxi para perto de si.
- Se eu soubesse que os dias passavam, que ela falava com você, se sequer uma palavra foi dita que ela nos rondava, como posso confiar em você? Você que me fez ver que ela odiava me ver feliz? -. Ela ficou ali parada, segurando a porta de trás do taxi. - Posso te ligar amanhã?- Disse ele olhando para as chaves em suas mãos. - Boa noite Kaio -. Disse Eduarda entrando no carro e partindo.
Sophia sentia enorme alegria por fazer parte da discussão entre o casal. Enquanto Sophia dirigia, podia cantarolar uma música alta que tocava na rádio local. Longe dali, Kaio se sentia confuso e culpado. Eduarda repousou-se em sua cama até mesmo vestida de gala, e enquanto olhava para o teto sem se quer pensar em nada, fechou seus olhos e adormeceu. Kaio naquela noite não havia se quer pensado em apagar-se, adormecer. Só pensava em Eduarda. Sophia pode tomar um banho quente, se embelezar e dormir. Dormir feliz e tranquila.
Dia seguinte dia chuvoso. O sol aparece entre as nuvens, e enfim Eduarda abrira seus olhos. Ainda cansada, emotiva, e vestida a gala. Sorriu, por lembrar em épocas em que dormia na sala e acordava em sua casa de pijama e coberta. - Pais! -. Ela sorriu. O primeiro sorriso, desde o acontecido do baile. Mas logo o sorriso pois se a ir embora.
- Porque tive que ser tão gentil naquela noite? 
Gentileza não gera gentileza, gera gente encostada se aproveitando de você -. Disse Eduarda em voz alta enquanto lentamente tirava suas roupas sujas. Logo no início da manha, enquanto Duda molhava seu corpo, no seu banho longo, Kaio insistia em ligar. Uma, duas, três chamadas que Eduarda não havia escutado. Debaixo do chuveiro Duda fechava os olhos e só conseguia ver a imagem dos dois, felizes, em beijos.

0 comentários:

A Caprichosa

A Caprichosa
Esteticista| Cristã| Mãe do Luck. Cantinho reservado para as mulheres que amam vaidade e um pouquinho de cada assunto.

Arquivo do blog

@barbarapiracelli

@barbarapiracelli

Tecnologia do Blogger.

Anuncie !!!!